Notas soltas sobre a 4ª Edição – Classes (1ª Parte)

A classe de uma personagem sempre foi um dos elementos que esteve no cerne da experiência de D&D e, a par com a raça, é uma característica que define intrinsecamente essa mesma personagem e marca a sua evolução durante o desenrolar de uma campanha. A par com a raças, as classes sofrem significativas alterações nesta nova Edição, no conjunto das suas mecânicas, bem como no desaparecimento de algumas dos livros base ao mesmo tempo que novas surgem. Fundamentalmente (mais uma vez, tal como as raças) permanecem aquilo que estamos habituados a conhecer mas com vastas alterações que modificam, em muito, o próprio fluir do jogo. Continuar a ler

Anúncios

Dispel Magic

Dispel Magic

Em pleno dia das mentiras, e por entre umas quantas brincadeiras, a Wizards of the Coast revelou mais um pedaço de informação relativamente à Quarta Edição de D&D. A entrada do Design & Development desta semana aborda o redesenho das regras por trás do funcionamento do Dispel Magic.

Servindo com outro exemplo claro da simplificação que pretendem reforçar nesta nova Edição, a habilidade de dispel magic vê-se reduzida a uma definição muito mais simples e concisa. A diferenças são bastante claras:

Genericamente, em Terceira Edição, o dispel magic serve para terminar efeitos mágicos em criaturas ou objectos, temporariamente suprimir as habilidades mágicas de objectos mágicos, terminar os efeitos de um feitiço numa área e servir de acção de contra-ataque para eliminar a tentativa de recitar (ou lançar, dependendo da conotação em Português que acharem mais correcta) um feitiço por parte de um adversário. Em Quarta Edição muitas destas capacidades são eliminadas, ficando o dispel magic capaz apenas de terminar os efeitos de um feitiço numa área (as áreas passíveis de ser afectadas são denominadas de zones) como, por exemplo, uma Blade Barrier, e eliminar entidades físicas criadas por um feitiço (denominadas de conjurations) como, por exemplo, armas mágicas animadas. É também um feitiço que pode ser recitado apenas uma vez por dia.

Outra diferença determinante é o facto de que o dispel magic, em Quarta Edição, deixa de ser um feitiço que engloba uma área. Enquanto que em Terceira Edição o dispel magic podia afectar todos os feitiços sobre uma criatura ou área, agora passará a ter como alvo um único feitiço (ou, mais correctamente, a manifestação física que é o resultado de um feitiço).

No global, o poder do feitiço foi claramente reduzido: Funciona em menos casos, menos alvos, e menos vezes ao dia.

Destas mudanças, a única que me faz sentido é a de tornar o feitiço um raio (ao invés de ser de área). Parece-me redundante ter um feitiço de área para eliminar efeitos de área, por exemplo. É claro que haverão sempre casos onde daria jeito, mas esses – acredito – são a excepção. Pelo que, à luz das outras alterações, é algo expectável.

Em relação às outras alterações, e a todas no seu conjunto, encontro-me dividido. É difícil de analisar o real impacto destas mudanças quando são apresentadas assim, de uma forma descontextualizada. Perdem-se possibilidades com o dispel magic, em Quarta Edição, mas pouco se sabe do que se ganha noutras vertentes. Em particular, é referido no texto, a propósito de o dispel magic já não remover efeitos com alguma duração que afectam criaturas genericamente (como um Bull’s Strength, por exemplo), que no jogo existem outras formas de lhes fazer frente. Mas que outras formas? Nada (ou pouco) se sabe, ainda.

Paralelamente, referências a counterspelling encontram-se visivelmente omissas neste artigo o que, já de si, auspicia, que para esta nova Edição foi definido uma nova mecânica para essa acção (o que, daquilo que foi visto até agora em casos semelhantes, não é de estranhar).

No global, mais um exemplo onde se deixa permear mais um pouco da direcção apontada pela Wizards of the Coast para a nova Edição, mas que não é suficiente para traçar grandes conclusões.

 

Notas soltas sobre a 4ª Edição – Raças

Human Rider

Desde o meu último comentário à nova edição de Dungeons & Dragons muita “tinta” já foi gasta em artigos, notícias, e eventos. Informação foi chegando aos demais em boa quantidade e actualmente há uma visão já bem mais clara daquilo que se avizinha. Existem várias coisas que me saltaram à vista, e que acho pertinente (mesmo com algum atraso) comentar. Dessa forma atinjo o objectivo duplo de apresentar aqui, de uma forma resumida, aquilo que de mais importante (segundo a minha perspectiva) foi revelado até agora, como também posso expressar a minha opinião sobre esses mesmos temas. Não querendo tornar esta entrada ainda maior do que aquilo que já vai ser decidi separar este assunto em várias entradas, cada uma dedicada a um determinado tema. Para já vou abordar a informação sobre as raças que nos esperam nesta nova edição.

Continuar a ler

4th Edition – Mais detalhes

Design & Development

À medida que o tempo passa desde o anúncio oficial da quarta edição de D&D, mais informações vão surgindo por todo o lado. Inevitavelmente, referir qualquer uma destas informações aqui não é mais do que o trabalho de replicar dados presentes noutros sites, mas decidi fazê-lo por uma questão de consistência. Nos fóruns do Gleemax foi colocado o resumo mais interessante e completo que descobri até agora de um seminário sobre esta nova edição onde se abordaram algumas das alterações que nos esperam (ou seja, finalmente começa-se a falar do que realmente interessa). Podem ler o texto na integra já a seguir, ou consultar a thread original aqui. Tomei a liberdade de corrigir alguns erros ortográficos do texto original, mudar algumas formatações e de destacar alguns dos elementos mais relevantes para simplificar a sua leitura.

Continuar a ler

Dungeons & Dragons: 4th Edition

 

D&D 4th Edition Logo

 

É oficial. Dungeons & Dragons dá mais um passo em frente e evolui em direcção à sua quarta edição. Anunciada ontem (dia 16 de Agosto de 2007), esta nova edição marca um ponto de viragem do hobby tornando-o mais simples, mais abrangente, e acima de tudo, actualizado neste corrente paradigma da era digital em que vivemos. E é já a partir de Maio de 2008. Mas nada como ouvir (e ver) a descrição de todas as novidades dos próprios responsáveis.

Continuar a ler

Roleplay vs Rollplay

Munchkin

Temáticas recentes têm-me levado a pensar sobre uma questão algo comum nos RPGs “clássicos” (leia-se pen-and-paper) e em particular – claro está – no contexto de Dungeons & Dragons. Falo do equilíbrio entre roleplay e rollplay e como ambos afectam o estilo de cada jogador e mesmo o ambiente geral de diversas campanhas. Para o leitor desatento, ou pouco versado nestes assuntos, ambos os termos serão equivalentes (diferindo apenas na forma de escrever). No entanto, a verdade não podia estar longe desse facto. Apesar de relacionados, estes termos não serão mais do que reversos de uma mesma medalha.

Continuar a ler

Star Wars Saga Edition: Auspícios de uma “4th Edition”?

Saga Edition

A Wizards of the Coast lançou este mês um novo produto na linha de RPGs da setting de Star Wars. Chama-se Star Wars Saga Edition e tem a particularidade de surgir como uma forte revisão às regras que regem este jogo, alterando muitos elementos base do sistema d20. No Slashdot podem encontrar este artigo que se apresenta como uma review do livro (embora se pareça mais com um anúncio de publicidade, se bem que isso é assunto para outra ocasião) e onde se falam das diversas alterações ao sistema. A respectiva entrada na Wikipedia dá ainda mais informações.

Continuar a ler